-“É inaceitável, que no uso de suas prerrogativas, a mídia utilize denominações ofensivas e preconceituosas como seita, bando e facção em referência à Iurd”, diz nota da Igreja Universal

    A Igreja Universal divulgou nota nesta terça-feira (19) na qual nega orquestrar as ações movidas por fiéis e pastores da igreja contra jornais e jornalistas que escreveram reportagens investigativas sobre o patrimônio do bispo Edir Macedo. “A Iurd já ingressou com suas ações judiciais e não tem qualquer interesse de orquestrar e incentivar processos individuais por parte de seus fiéis”, diz a nota.

    Os fiéis entraram com ações na Justiça contra os jornais “Extra”, “O Globo”, “A Tarde”, e contra a “Folha”. Nos processos movidos contra a Folha, os fiéis se dizem ofendidos pelo teor de uma reportagem da jornalista Elvira Lobato, publicada em dezembro. Na nota, a Universal afirma respeitar o direito à liberdade de imprensa, jornalistas e veículos de comunicação. “[…] Porém, não admite que reportagens sejam usadas para ofensas de outras garantias constitucionais como a dignidade da pessoa humana, o acesso à Justiça, à liberdade de crença e à inviolabilidade da honra”, diz a nota. “A imprensa deve atuar com responsabilidade e não pré-julgar, manipular ou condenar precipitadamente.”

    Na nota, a Universal critica a mídia pela utilização de termos que chama de preconceituosos para se referir à igreja. “É inaceitável, que no uso de suas prerrogativas, a mídia utilize denominações ofensivas e preconceituosas como seita, bando e facção em referência à Iurd”. Sobre as demonstrações de apoio dadas pelas entidades de representação de jornais e jornalistas – como Abraji, ABI e ANJ–, a Universal diz apoiar “a posição de todas as entidades de classe quando está em questão a democracia”.

    “A imprensa, com responsabilidade, pode noticiar e os fiéis, da mesma forma, podem acessar a Justiça. Cabe ao Judiciário, com a imparcialidade e independência que lhe são inerentes, a palavra final”.

Dízimo

    A Universal informa ainda que fiéis de várias partes do país estão procurando a igreja para “manifestar seu repúdio em relação às notícias classificadas como lamentáveis, publicadas por veículos de comunicação, especialmente no que se refere à origem e destinação de seus dízimos”. “O dízimo é um aspecto da liberdade de crença consagrada pela Constituição Federal”, diz em nota.

Leia abaixo a íntegra da nota da Universal:

“A Igreja Universal do Reino de Deus, entidade religiosa há 30 anos no Brasil, com mais de 5 milhões de fiéis e presente em 170 países, vem a público esclarecer que:

1. Fiéis de várias partes do país estão procurando a IURD para manifestar seu repúdio em relação às notícias classificadas como lamentáveis, publicadas por veículos de comunicação, especialmente no que se refere à origem e destinação de seus dízimos;

2. O dízimo é um aspecto da liberdade de crença consagrada pela Constituição Federal;

3. A IURD já ingressou com suas ações judiciais e não tem qualquer interesse de orquestrar e incentivar processos individuais por parte de seus fiéis;

4. A IURD respeita a liberdade de Imprensa, os jornalistas e suas entidades representativas, porém, não admite que reportagens sejam usadas para ofensas de outras garantias constitucionais como a dignidade da pessoa humana, o acesso à Justiça, à liberdade de crença e à inviolabilidade da honra;

5. A Imprensa deve atuar com responsabilidade e não pré-julgar, manipular ou condenar precipitadamente;

6. A IURD não está à margem da sociedade. É uma entidade regularmente constituída, conforme a legislação brasileira, que deve ser respeitada como todas as outras denominações religiosas no estado democrático de direito. É inaceitável, que no uso de suas prerrogativas, a mídia utilize denominações ofensivas e preconceituosas como seita, bando e facção em referência à IURD;

7. A IURD apóia a posição de todas as entidades de classe quando está em questão a Democracia. A Imprensa, com responsabilidade, pode noticiar e os fiéis, da mesma forma, podem acessar a Justiça; 8. Cabe ao Judiciário, com a imparcialidade e independência que lhe são inerentes, a palavra final.

São Paulo, 19 de fevereiro de 2008.
Igreja Universal do Reino de Deus”  

Lewer kommentaar

Verskaf jou besonderhede hieronder of klik op 'n logo om in te teken:

WordPress.com Logo

Jy lewer kommentaar met jou rekening by WordPress.com. Log Out / Change )

Twitter picture

Jy lewer kommentaar met jou rekening by Twitter. Log Out / Change )

Facebook photo

Jy lewer kommentaar met jou rekening by Facebook. Log Out / Change )

Google+ photo

Jy lewer kommentaar met jou rekening by Google+. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: