-Força política dos evangélicos está crescendo em todo o Brasil. Por conta disto, vários candidatos a prefeito escolheram um evangélico para vice

Quer um vice? Chame um evangélico

Entenda por que eles estão tão bem cotados em quatro capitais.

(Fonte: IstoÉ Online) – Como era costume do avô, ACM Neto (DEM) foi pedir a bênção nos dois mais importantes terreiros de Salvador no final de semana de 16 e 17 de agosto. Esteve no Gantois, onde recebeu os afagos de mãe Carmen, e no Ilê Axé Opó Afonjá. Na capital de todos os santos, a chapa de ACM Neto pretende agradar a gregos e troianos. Enquanto Neto, que é católico, tentava garantir os votos da comunidade do candomblé, seu vice, o deputado federal Márcio Marinho (PR), participava de cultos na Igreja Universal do Reino de Deus, da qual é pastor. “Em Salvador há uma pluralidade de religiões e etnias e cada um se respeita”, diz Marinho, que ainda afirma ter uma relação estreita com os candomblesistas e umbandistas. “Nas eleições passadas, vários terreiros me apoiaram.” Para a escolha de Marinho para vice, o que pesou, além da grande liderança que ele tem na Igreja Universal que se traduziu em cerca de 50 mil votos em 2006, foi o fato de o deputado ser bem articulado, negro – o que traz apoio da comunidade afrodescendente da capital baiana – e ter muita força nas comunidades mais carentes da cidade.

Candidatos evangélicos a vice também têm chance em Belo Horizonte (Cláudio Sampaio, vice de Jô Moraes), Porto Velho (o pastor João Leão, do PTB, vice de Lindomar Garçon, do PV) e em São Luís (o pastor Fábio Leite, do PPS, vice de Clodomir Paz, do PDT). Para a cientista política Maria do Socorro Braga, da Universidade de São Paulo, o grande número de candidatos a vice-prefeito membros de igrejas evangélicas pode significar uma nova estratégia de ascensão social via participação política em cargos majoritários, e não só em cargos proporcionais. “Como conseguir um cargo eletivo é muito mais difícil do que conseguir um cargo proporcional, nesse caso entrar como vice é mais fácil porque ele não entra tão fortemente na disputa de votos como o cabeça de chapa, mas consegue ganhar visibilidade política ao longo do mandato, pois em diversas ocasiões pode vir a substituir o prefeito por alguma eventualidade.”

Sabedora da crescente força política dos evangélicos, a comunista Jô Moraes (PCdoB), que lidera as pesquisas em Belo Horizonte, quis um religioso na sua chapa. Seu vice é o pastor da Convenção Batista Nacional, Cláudio Sampaio, do PRB. “O segmento tem crescido muito no País e é um percentual importante da população brasileira”, diz ele, justificando sua escolha como vice pela comunista Jô Moraes. A visão das igrejas evangélicas fica evidente na fala do ex-presidente do Conselho Nacional dos Pastores, o pastor da Assembléia de Deus Omar Costa. “Os evangélicos, como um grupo que chega a 33% da população brasileira, precisam ser representados na mesma proporção, ou seja, um terço dos políticos têm que ser evangélicos”, diz Costa, que é vereador pelo PTB em Ituiutaba (MG) e reitor do Seminário Internacional de Teologia.

Fonte: O Verbo

0 Responses to -Força política dos evangélicos está crescendo em todo o Brasil. Por conta disto, vários candidatos a prefeito escolheram um evangélico para vice

  1. lu sê:

    OLA! SOU ATRIZ TRABALHO EM TEATRO A 12 ANOS HOJE TENHO 19 ANOS E ESTOU QUERENDO PARTICIPAR DESTA NOVELA ATE MESMO PQ TAMBEM SOU EVANGELICA.

Lewer kommentaar

Verskaf jou besonderhede hieronder of klik op 'n logo om in te teken:

WordPress.com Logo

Jy lewer kommentaar met jou rekening by WordPress.com. Log Out / Change )

Twitter picture

Jy lewer kommentaar met jou rekening by Twitter. Log Out / Change )

Facebook photo

Jy lewer kommentaar met jou rekening by Facebook. Log Out / Change )

Google+ photo

Jy lewer kommentaar met jou rekening by Google+. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: